Alzheimer em Pet: saiba tudo sobre o assunto

Existem diversas doenças que acometem tanto nós humanos, quanto nossos fofineos de estimação, um exemplo disso é a doença de Alzheimer. Conhecida no mundo pet como “Síndrome de Disfunção Cognitiva Canina” – (SDCC), ela também é responsável pela perda de memória e outros problemas que afetam o cãozinho.

Você já sabe falar sobre Animal de estimação de Alzheimer? Sabe que mais da metade dos cachorros com mais de 15 anos de vida tendem a apresentar um quadro de tal doença? Que entre os principais sintomas está difícil de fazer suas necessidades nenhum local adequado e não responder quando for chamado? Para muitas pessoas, tudo isso é novidade, pois não é um assunto muito comentado, mesmo sendo extremamente complicado.

Pensando nesse problema, hoje, nós do Meu Pet Club, vamos te explicar tudo sobre Alzheimer Pet. Vem com a gente!

Senhora sendo puxada pelo seu cãozinho

Síndrome de Disfunção Cognitiva Canina – (SDCC)

Todo ser vivo nasce, cresce e morre. Esse é o ciclo da vida. Tão simples na teoria e com diversos desafios na prática, não é mesmo? Pois é, o processo de envelhecimento não é nada fácil nem para os nossos cachorrinhos. Iniciando a partir dos sete, oito anos de vida, o envelhecimento dos cães vem acompanhado da perda de visão e audição , diminuição da energia, aumento das horas de sono e uma maior dificuldade em se locomover.

Quanto mais velhinhos, mais problemas vem surgindo e a gravidade só aumenta. Pesquisas apontam que mais da metade dos cachorros com mais de 15 anos de vida tendem a apresentar um quadro de Alzheimer pet, também conhecido como Síndrome de Disfunção Cognitiva Canina – (SDCC).

cachorro triste

A causa

Infelizmente, ainda a ciência não conseguiu comprovar a real causa do Alzheimer pet. Entretanto, estudiosos acreditam que a Síndrome se desencadeie devido alterações no tecido nervoso, ocasionada pelo envelhecimento celular que acontece com o passar dos anos.

Por causa das mudanças que o cérebro sofre e a perda de neurônios, o bichinho começa a apresentar mudanças de comportamento e sua qualidade de vida é diretamente afetada, assim como a de outros bichinhos e de seus familiares.

O Alzheimer Pet não depende de raça ou sexo, mas é mais comum se desenvolver em cães idosos com idade superior a 10 anos. Em alguns casos, o quadro é tão sério que os fofineos passam a depender de tudo dos seus papais, já em outras situações, os sintomas são mais leves, o que os permite ter uma vida mais independente.

Cachorrinho se arrastando

Os sintomas

Principalmente no início, os sinais clínicos variam de cãozinho para cãozinho. Podendo apresentar diversos sintomas, como também apresentar apenas um ou outro, ficar atento ao comportamento dos nossos fofinhos é extremamente importante. Quanto antes diagnosticarmos, mais fácil de contornar a história se torna, por isso, fique atento a:

  • O animal passa a perambular pela casa e tropeça em tudo;
  • É como se ele não conhecesse mais o lugar;
  • Eventualmente o canino tem dificuldades para reconhecer os membros da família e os territórios onde sempre passou;
  • Não responde quando chamado;
  • Deixa de solicitar afeto e não procura chamar a atenção de seus donos;
  • Perde a vontade de brincar;
  • Parece sempre distante, olhando para o nada;
  • Tem atitudes repetitivas;
  • Modifica sua rotina de sono;
  • Durante as noites, ele pode caminhar e latir sem motivo aparente;
  • Faz suas necessidades fora dos lugares habituais;

O diagnóstico

Ao se deparar com qualquer sinal, você deve recorrer ao veterinário para chegar a um diagnóstico. Só será possível diagnosticar se o seu fofinho tem Alzheimer Pet caso outras doenças forem descartadas e como isso é feito? Realizando exames físicos completos, testes laboratoriais adequados e até mesmo exames especializado. É a partir disso que um médico veterinário pode chegar a um prognóstico.

Cachorro preocupado

O Tratamento

Assim como a ciência não sabe o verdadeiro motivo por traz do Alzheimerainda não há um tratamento especifico que cure esse transtornoEm geral, são oferecidos dois tipos de remédio:  

  • Nicergolina  – um vasodilatador cerebral que ajuda a aumentar as funções cognitivas do animal; 
  • Selegilina. – atua na redução da deterioração da dopamina; 

Há também as terapias medicamentosas. Com elas é possível ajudar a aliviar os sinais clínicos e melhorar a qualidade de vida dos nossos lindinhos 

Na maioria das vezes, a terapia só é indicada para bichos em estágio avançado da doençapois é quando os sintomas atrapalhem a vida dele e do tutor. Lembre-se que é importante não medicar o animal sem recomendação médica.

Cachorro Brabo

A prevenção

Uma das melhores alternativas para preservar o bem-estar dos nossos bichinhos é acompanhando o comportamento que eles passam a apresentar quando chegam a uma idade mais avançada e cuidar deles durante a deterioração. Na prática isso significa:

  • Proporcionar ao cãozinho uma alimentação adequada;
  • Incentivar práticas que visam uma rotina mais tranquila e segura;
  • Estimular a mente do fofinho com jogos e diferentes atividades;
  • Interagir com o animalzinho de forma constante para que ele se sinta querido;
  • Manter os passeios;
  • Colocar uma música para relaxá-lo, e reduzir seus níveis de ansiedade e estresse;

Cachorro feliz

Caso seu fofinho seja diagnosticado com esse transtorno, se mantenha calmo. O Alzheimer canino requer muita paciência e amor pelo bichinho, pois de fato é um problema com diversas complexidades.

Se felizmente seu fofinho apresenta uma saúde imbatível, garanta que se mantenha por muito tempo a partir de uma Assistência Pet. Com ela é possível salvar e aumentar a segurança de nossos fofinhos. Dois aspectos fundamentais para nós, papais e mamães de pets, não é mesmo?

Até a próxima, Aulovers ! 💜🐶

Você também pode gostar

Rolar para cima